Doubt – Vol. 01

Embora nunca tenha arrasado quarteirões, sempre teve seu grupo de fãs internet afora. Agora finalmente ele chega ao Brasil e à seção Novidade nas Bancas!

O jogo começa quando o lobo se mistura aos coelhos. Os coelhos dormem e o lobo vai à caça! Seis estudantes se veem presos à uma versão real do jogo para celular “Rabbit Doubt” e agora devem adivinhar quem é o lobo do grupo. O inimigo está escondido e a pena para a falha é a morte!

Mais uma vez, ao chegar na banca de jornal, nota-se como faz falta o plástico protetor envolvendo os volumes. Observando nas prateleiras, não é difícil encontrar exemplares que estejam com orelhas ou pedaços da capa descascando, o que até mesmo o mais zeloso dos jornaleiros não conseguiria evitar, já que tradicionalmente o produto fica à mostra para os clientes manusearem. Difícil mesmo é encontrar os que não estejam danificados!

No entanto, uma vez que tenha sido selecionada uma edição que atenda aos seus padrões, é fácil ficar encantado pela ilustração de capa, e a JBC mais uma vez acerta ao escolher não repetir a mesma imagem nas duas capas. A impressão do índice no interior delas é uma boa forma de aproveitar aquele espaço que o público tanto reclama quando vem em branco.

Ao começar a leitura, já se é brindado com quatro belas páginas coloridas, onde a mescla da arte bonitinha e distorcida e a narrativa quase de conto de fadas de Yoshiyuki Tonogai consegue surpreender até alguns dos mais céticos quanto à qualidade da obra. Sobre as falas, embora não se veja erros gritantes na coerência, é preciso ressaltar que algumas escolhas de palavras ficaram estranhas ao que normalmente ouvimos no dia a dia em frases parecidas e em muitos balões o posicionamento do texto ficou totalmente descentralizado.

Adentrando a história em si, a temática é bastante parecida com o primeiro filme de Jogos Mortais, preocupando-se mais em narrar o drama dos personagens vivendo aquela situação de desespero. O mangá se desenvolve bem nesse primeiro volume e, embora caia naquele velho lugar-comum dos quadrinhos japoneses em ter protagonistas estudantes do ensino médio, logo se diferencia pela arte (e seus elementos mais macabros como a máscara de coelho que se tornou seu símbolo) e o ritmo da narrativa, sabendo aproveitar o efeito psicológico da premissa do lobo em pele de cordeiro, ou melhor, de coelho, para manter o leitor sempre alerta.

Doubt traz o tipo de terror que pouco se tem explorado nos últimos tempos, se preocupando mais com o clima e o seu efeito, preferindo a tensão e a expectativa ao banho gratuito de sangue e tripas que tem-se mostrado mais presente no gênero ultimamente.

Enfim, com um total de quatro volumes, é uma compra ideal para os fãs de terror, principalmente aqueles que, como na comparação feita mais acima, gostaram mais do primeiro filme de Jogos Mortais do que o que a franquia se tornou depois. E mesmo que alguns erros tenham passado nesse primeiro volume, nada prejudica a história que, por si só, já é um grande motivador para a compra.

Nota: 8,0