Ataque dos Titãs: Antes da Queda – Vol. 01

Setenta anos antes da queda da Muralha Maria, um único titã invade o Distrito de Zhiganshina e causa uma tremenda devastação, deixando muitos mortos e feridos. No entanto, das entranhas de um cadáver devorado, surge um bebê recém-nascido que viria a ser reconhecido como o “Filho de Titã”. Após anos vivendo aprisionado, Kuklo é vendido a um importante mercador e passa a viver uma série de abusos e maus tratos, mas uma inesperada ajuda pode mudar o curso de sua vida e também da humanidade…

Diferente da série principal, esse primeiro volume de Ataque dos Titãs: Antes da Queda se mostrou razoavelmente simples, tanto na falta de impacto visual quanto de surpresas na história. Logo nas primeiras páginas nos deparamos com um ritmo acelerado de narrativa, e uma transição entre passado, presente e um flashback que pode deixar boa parte dos leitores mais casuais bastante confusos. Além disso, não dá para deixar de notar algumas forçadas de barra para fazer a história avançar, como quando um Kuklo que supostamente não entende nada da linguagem e dos hábitos humanos compreende o comando de “Revidar” que dão a ele, e ainda por cima monta uma posição de guarda típica de artes marciais.

No entanto, não é difícil de simpatizar com o protagonista acorrentado, sofrendo abusos constantes de um antagonista arrogante, nascido em berço de ouro. O jovem Kuklo não sabe o que é ser humano e nem mesmo reage às crueldades, porque é só o que conheceu nos seus treze anos de vida. Ele não conhece uma realidade em que não esteja preso e ferido, o que acaba por (seja intencional ou não) formar uma incrível metáfora para a situação da própria humanidade dentro das muralhas.

Quanto à qualidade do volume, a editora Panini parece talvez ter prezado pela padronização da série, mantendo o triste modelo de capa e quarta capa com a mesma imagem, diferenciando uma da outra só pela presença do código de barras (até mesmo a sinopse eu tive que procurar no site deles, porque nem sinal dela na capa do mangá). Os recentes lançamentos de Tokyo Ghoul, Aoharaido e Planetes dão a esperança de que uma nova onda está começando a se formar dentro da empresa, mas melhor a gente não contar com o ovo dentro da galinha.

O interior das capas colorido em vermelho sangue combina bem com o estilo da franquia e mais uma vez temos o índice fazendo bom uso do espaço, seguido de quatro páginas coloridas iniciais, antes de voltar para o triste padrão papel brite da editora.

Essa primeira edição de Antes da Queda deixa uma impressão estranha de que estamos assistindo a um filme em fastforward e, enquanto muitos provavelmente esperavam mais ação e sangue, temos algo na linha de a princesa e o plebeu à moda “shingekiana”. A bem da verdade, esse spin-off se apresenta como bastante restrito ao público que já é fã do mundo dos titãs e esses provavelmente não vão se importar em gastar seus doze reais e noventa centavos. Se você ainda não conhece a história principal, talvez seja melhor procurar a livraria mais próxima e lê-la primeiro.

Nota: 7,0

Co-fundador da Não Nasci Herói, principal tradutor, redator de notícias e artigos e produtor e editor do NNHCast. Lá fora advogado, leitor ávido, autointitulado escritor e entusiasta de desenhos japoneses.