XSEED Games anuncia jogos que mostrará na E3

Não deixando nada a desejar, a empresa anuncia a vinda de Zwei II Plus ao ocidente, a versão de Nintendo Switch de Fate/Extella: The Umbral Star e muito mais!

A distribuidora XSEED Games, empresa subsidiaria da Marvelous, anunciou a sequência de jogos que mostrará na E3 2017, que acontecerá dos dias 13 a 15 de Junho. Dentre os títulos que ela pretende mostrar, teremos versões ocidentais de jogos orientais, jogos com versões para novos consoles e alguns outros totalmente novos. A empresa também anunciou que o produtor da série Senran Kagura, Kenichiro Takaki, aparecerá pela primeira vez em solo americano para interagir com os fãs no dia 15 de Junho na E3, das 15h às 17h (horário do Pacífico). A XSEED Games também venderá jogos e mercadorias de sua loja digital em seu estande por toda a duração do evento.

Estou muito ansioso para conhecer os fãs do meu trabalho na E3. Nunca pensei que a série iria sair do Japão quando criei Senran Kagura, mas agora que ela tem fãs no mundo todo, quero conhecê-los e estou muito feliz que a Marvelous e a E3 me permitiram fazer isso.” disse Kenichiro Takaki.

Enfim, vamos ao que interessa. Segue abaixo a sequência de jogos da XSEED Games que serão mostrados no evento:

Zwei: The Ilvard Insurrection

TrailerVídeo de abertura | Key visual

Começando, temos o jogo que é a continuação de Zwei!!, título lançado para PC em 2001 e posteriormente para PlayStation 2 e PSP. Zwei II chegou no Japão em 2008 sendo um dos maiores títulos desenvolvidos pela Nihon Falcom, ganhando inclusive uma nova versão lançada para Windows 7 em 2009. Agora, uma versão do título localizada para o ocidente com direito a tradução em inglês será lançada para PC (Windows) no Verão do hemisfério norte deste ano, ou seja, Inverno aqui no Brasil.

The Ilvard Insurrection é um action RPG que possui um sistema único de experiência baseada em alimentos, um elenco pitoresco de personagens e uma peculiar narrativa independente. Quando a princesa vampira arrogante, Alwen du Moonbria, salva a vida do imprudente caçador de tesouros Ragna Valentine em troca de um contrato de sangue, a dupla precisa partir para recuperar a magia roubada de Alwen e seu castelo usurpado. O combate em tempo real do jogo conta com a um sistema de level que permite escolher quando aplicar experiência em aumentar o level, possibilitando guardá-la para vantagens mais tarde, e pets que podem lutar ao lado dos jogadores e ajudar a derrotar chefes massivos encontrados nessa grande aventura através da terra de Ilvard. Fãs de vampiros, caçadas ao tesouro, fadas, ninjas, luchadores, gatos, aviões vintage, castelos mágicos, robôs e galinhas que botam bombas vão encontrar muito o que amar!

Enquanto o caçador de tesouros Ragna é adepto ao combate físico, fazendo uso da sua arma chamada Anchor Gear, a vampira Alwen é proficiente em magia podendo usar poderosos feitiços elementais. O jogador poderá alterar entre os dois personagens durante o jogo, tendo que fazer uso das habilidades e especialidades de cada um nos momentos certos.

Sakuna: Of Rice and Ruin

Vídeo da Comiket 90 | Key visual

A desenvolvedora indie Edelweiss, responsável por jogos como o aclamado shoot ‘em up Astebreed, agora traz um título cheio de paixão inspirado na mitologia japonesa. Até direito a cultivo de arroz esse jogo tem, então segue junto pois coisa boa vem aí, afinal de contas, quem não gosta de arroz?

Sakuna: Of Rice and Ruin é um jogo side-scroller de ação em plataforma inspirado na mitologia japonesa que quebra a ação com jogabilidade de simulação de cultivação de arroz. Os jogadores tomam controle de Sakuna, uma orgulhosa porém solitária deusa da colheita que é banida para uma perigosa ilha com um grupo de humanos exilados. Sakuna amansa a ilha derrotando demônios utilizando ferramentas de fazenda enquanto canaliza ataques com seu “cachecol celestial,” um item mágico que permite que ela pegue inimigos distantes e se prenda a plataformas. A meticulosamente trama do jogo incorpora história japonesa e lendas, com sua heroína enfrentando inúmeros tipos de demônios enquanto viaja por detalhadas paisagens. Além de ser uma carta de amor à mitologia japonesa, Sakuna: Of Rice and Ruin é uma homenagem à arte de cultivar arroz, e possui uma cativante simulação da prática por trás da cultura.

O jogo foi anunciado pela primeira vez na Comiket 90 (2016), e agora chegará ao ocidente para PlayStation 4 e PC com lançamento previsto para 2018. O jogo tem cultura, charme e ainda uma jogabilidade side-scroller e combate com influência de hack ‘n slash, saindo da mesmice com as sequências de cultivação de arroz. Como não ficar no mínimo curioso ou interessado por algo tão diferente assim?

  

Senran Kagura: Peach Beach Splash

TrailerVídeo de abertura | Key visual

O shooter mais ecchi que você já viu nos últimos anos, aquele que você provavelmente já conhece pela infinidade de vídeos na internet (principalmente no Facebook) mas provavelmente não sabia o nome ainda. Pegue Splatoon e adicione um pouco de saliência… espere, não, adicione muita saliência e aí você terá Senran Kagura: Peach Beach Splash, um jogo de tiro em terceira pessoa literalmente sobre torneios de guerra com armas de água onde as competidoras vestem roupas de banho.

O verão vívido, extravagante e de diversão ilimitada continua para as estudantes shinobi neste novo título da série. Os jogadores escolherão um time de cinco entre mais de trinta garotas disponíveis, personalizarão suas armas e habilidades e então irão controlá-las em animadas batalhas com armas de água em várias arenas de combate. Os jogadores também poderão se juntar aos seus amigos online e competir contra times em batalhas de 5 contra 5 e também em partidas de sobrevivência. Entre, a água está ótima!

No mundo dos shinobi (ninjas) existe um torneio com armas de água desde tempos ancestrais, e não importa se as nossas protagonistas são boas ou más shinobi ou possuem qualquer outra qualidade, a vitória ou derrota é determinada pelas armas de água e por nada mais. Para o bem da “trama”, as habilidades shinobi são proibidas no torneio.

O título conta com um modo chamado Midsummer Battle, que á basicamente um modo história, e com o modo de 5 contra 5 que terá direito a multiplayer com personagens customizáveis. Além de escolher as armas e habilidades, os jogadores também poderão personalizar a aparência das garotas com acessórios e trajes. Cartas com artes bem provocantes estarão disponíveis e inclusive são parte importante da jogabilidade, uma vez que as mesmas podem ser utilizadas para equipar habilidades, armas e chamar uma companheira. A cereja do bolo são os golpes finalizadores chamados “Kunekune Finish”, que acabam com a vítima tomando uma rajada de água nos seios ou nas nádegas e fazendo poses diferentes dependendo da arma utilizada.

Senran Kagura: Peach Beach Splash foi desenvolvido pela Tamsoft e lançado dia 16 de Março deste ano no Japão para PlayStation 4. Sua vinda para o console no ocidente está prevista para o Verão do hemisfério norte, ainda em 2017.

Fate/Extella: The Umbral Star

Trailer | Key visual

Ambientada após da Guerra do Santo Graal de Fate/Extra, a história é contada da perspectiva de Nero, que lidera uma facção que está em guerra contra Tamano pelo controle da Moon Cell e do Santo Graal. Quem já é familiarizado com a franquia conhece ambos os personagens e muitos outros que aparecem ao longo do jogo. O jogador controlará um Mestre que comanda espíritos conhecidos como Servos, e terá a possibilidade de escolher o sexo e nome do personagem que irá jogar.

Após um lançamento de sucesso no PlayStation 4 e PS Vita, a versão de Nintendo Switch de Fate/Extella: The Umbral Star vem com 35 DLCs pagas de trajes anteriormente lançados e também com o Unshackled Bride, um novo traje exclusivo. Desenvolvido pela Marvelous Inc. e expandindo o universo extensivo de Fate com uma história original do aclamado autor da série, Kinoko Nasu, Fate/Extella: The Umbral Star possui personagens jogáveis de vários títulos Fate através de três perspectivas de narrativa distintas, trazendo o duelo mais lendário da série em um jogo cheio de ação.

O terceiro jogo do arco que começou com Fate/Extra e o segundo a ser lançado fora do Japão, Fate/Extella: The Umbral Star chegou ao ocidente em Janeiro deste ano com versões para PlayStation 4 e PlayStation Vita, e agora chegará ao Nintendo Switch dia 25 de Julho.

Shantae: Half-Genie Hero

Trailer | Key visual

Vamos respirar um pouco e falar sobre um lançamento ocidental, um jogo de uma franquia clássica de plataforma que teve início em 2002 com o primeiro Shantae lançado no Game Boy Color. A desenvolvedora indie WayForward Technologies está mais um vez por trás de um título da série, Shantae: Half-Genie Hero foi um sucesso no Kickstarter e teve seu lançamento em Dezembro de 2016 para PC, PlayStation 4, PlayStation Vita, Xbox One e Wii U. Agora, ele também virá para o Nintendo Switch dia 8 de Junho deste ano.

Shantae: Half-Genie Hero vem para o Nintendo Switch com novo conteúdo! A versão do Switch desse jogo de ação em plataforma terá a DLC da Risky Boots que está para ser lançada, chamada “Pirate Queen’s Quest!”. Nessa nova aventura, os jogadores controlarão a arqui-inimiga de Shantae, Risky Boots, enquanto ela viaja pelos quatro confins da Ilha Sequin a procura de componentes necessários para destruí-la. Novos puzzles, novos inimigos e uma jogabilidade totalmente renovada tem como objetivo melhorar essa aventura que já é incrível!

Shantae: Half-Genie Hero é o primeiro jogo full HD da série. Shantae retorna com suas habilidades conhecidas e pode fazer uso de suas chicotadas de cabelo para danificar os inimigos, usar ataques mágicos ou mudar sua própria forma e se transformar em criaturas com suas danças do ventre, tendo a opção de comprar novas danças com uma personagem chamada Tuki, que por sinal foi criada por um artista que era fã da franquia e ajudou no Kickstarter. O jogo também possui um novo sistema de relíquias que permite ao jogador liberar novos poderes e personalizar os golpes de Shantae e suas várias formas.

Um NEET que passa tempo demais opinando e escrevendo coisas irrelevantes na internet e jogando até o ponto em que a retina pede clemência. Membro novato da Não Nasci Herói e entusiasta de VNs, arte digital e cultura pop ocidental e oriental.