Conhecendo Séries: Saiyuki (Anime)

Saibam mais sobre a série que ganhou sua oitava continuação agora na temporada de Verão!

Aproveitando o embalo da animação nova, resolvi escrever sobre esse shonen/josei de aventura, comédia e fantasia que marcou a minha jornada nesse mundo dos animes.

Eu fiquei muito, mas muito feliz mesmo quando a continuação dele foi anunciada. Na época até tinha sido um show de felicidade (e umas decepções…) quando os japoneses resolveram desenterrar alguns animes antigos como D. Gray-Man (outro que amo de paixão), Berserk e, logo em seguida, fiquei sabendo de Saiyuki.

Lembro até de ter visto um comentário no Facebook de uma guria que disse assim: “Vivi pra ver uma animação boa desse anime.” I feel u, bro…

Saiyuki é basicamente uma das várias releituras de… Saiyuki (rá!) ou, pra melhor entendimento, o título japonês da lenda “A Jornada para o Oeste”.

A história é assim: Havia humanos e youkais que viviam em harmonia, mas um dia esse equilíbrio foi quebrado devido aos experimentos que tinham como objetivo reviver Gyumaou, um grande youkai selado há 500 anos pelo antigo Príncipe da Guerra Nataku. Então Genjou Sanzou, o monge pistoleiro de rosto afeminado que detém o maior “cargo” dentre os monges budistas (e é completamente cético…), foi convocado e ordenado a descobrir quem estava por trás disso tudo e acabar com os experimentos a fim de restaurar a paz mundial. Só que a ordem veio com um bônus da Deusa Misericordiosa: leve junto com você Son Goku, o idiota comilão da turma que ficou selado por 500 anos dentro de uma montanha, Cho Hakkai, o certinho de personalidade duvidosa e Sha Gojyou, o metido a gostoso que não come ninguém, e de bônus ainda veio o Hakuryuu, um dragãozinho que se transforma num Jeep (sério).

Os episódios então, de uma forma geral, falam das aventuras e encrencas que esse quarteto lindo (que supostamente era pra ser de bishounens) encontra e enfrenta no meio de sua jornada rumo ao oeste, partindo da China com destino a Tenjiku (pronúncia japonesa do antigo nome dado pelos chineses à Índia), montado no lombo do Hakuryuu transformado em um Jeep que Hakkai dirige melhor (cof cof) do que a professora de Azumanga Daioh.

(Zoa hahahaha)

Agora tá certo (só ignorem a mulher aleatória ali).

É muito comum ter lutinha pra tudo quanto é lado e os youkais spawnam mais do que aqueles mobs que andam em grupos em MMORPG. É bem ao nível de: um youkai (ou um monte deles) surge do nada e “Olha o grupo do Sanzou, vamos atacar… AHH!”. Mas essas lutas não costumam durar muito não. É Sanzou dando tiro pra tudo quanto é lado, Goku descendo o cacete nos caras, Gojyo tirando a arma dele da bunda (sério, é muito estranho como na primeira temporada ele coloca a mão nas costas e a arma surge do nada…) e Hakkai lançando uns Kamehameha. Então é tipo tiro, porrada e morte pra tudo quanto é lado. A princípio, a maioria dos inimigos são enviados pelo lado do pessoal que tá tentando reviver Gyumaou, porque eles precisam da Escritura de Criação do Céu e da Terra que está sob a posse de Sanzou (aquela coisa cheia de letrinhas no ombro dele).

Uma coisa que acho muito engraçada em Saiyuki é a postura de um dos “vilões”, que na verdade é um cara legal (rs) e quando pessoal tá com problemas, eles se ajudam (?). Tipo “Sanzou & Cia estão em apuros, vamos ajudar!” xD. É meio que “o inimigo de ontem é o aliado de hoje, mas amanhã eu pego tua Escritura, tá?”. E isso vale pro grupo do Sanzou também, que de vez em quando dá uma ajudinha pro inimigo, afinal, como o próprio disse em determinado episódio:

Quem é inimigo ou amigo não é algo que outra pessoa deva dizer a você, muito menos decidir por você. Essas coisas você deve decidir por si mesmo.

Mas apesar de toda a bobeira e comédia, tem uns episódios com toda uma atmosfera meio dark, meio trevosa na série, que normalmente são os que falam do passado deles. Todos os protagonistas têm um passado trágico. Goku é um ser considerado herege, pois nasceu de uma pedra mística e não é nem humano, nem youkai, nem deus… “Um ser nascido da própria terra”. Ficou preso lá dentro daquela montanha sabe-se lá o porquê. Sha Gojyou é uma “criança proibida”, nascido de um humano e um youkai, além de ter um “complexo materno” (explicado a síndrome de Don Jaun dele?). Hakkai era originalmente humano e se transformou em um youkai após matar mais de mil deles tentando salvar sua amada (em vão, é claro). E Sanzou falhou em proteger a única pessoa que ele realmente quis proteger na vida, o que claro, acabou em morte…

Uma coisa citada algumas vezes em Saiyuki é algo como um ditado que foi passado em forma de ensinamento pelo antigo mestre do Sanzou:

“Se acontecer de encontrar Budha, mate-o…

Se acontecer de encontrar seus ancestrais, mate-os…

Não permita que nada o prenda,

Para que você possa viver

Encarando somente a verdade…”

(Sinceramente acho bem irônico um monge Budista falando isso, apesar de explicar bem o ceticismo dele)

Sanzou diz certa vez “Eu não leio sutras para os mortos. Os deuses não salvam ninguém. Você é o único que pode salvar a si mesmo. Você pode fugir. A sua morte não mudará nada, mas haverá coisas que mudarão se você continuar vivo.” e é assim que os quatro vivem. Livres, seguem somente aos seus próprios princípios, não se prendem a nada e nem a ninguém, não se cegam ou se influenciam pelo que veem, continuam em frente independentemente de seus traumas ou de qualquer obstáculo que surja…

“Acreditar somente em seus próprios corações…

Acreditar somente em seus próprios olhos…

Acreditar somente em sua própria força.”

Mesmo assim, entre eles há uma relação de amizade e confiança difícil de explicar. É algo silencioso entre os quatro, onde cada um vê e reconhece a força e a capacidade do outro mesmo que na maioria das vezes neguem isso em voz alta. E ainda que sejam tão individualistas, conseguem lutar lado a lado através desse reconhecimento ~coisa linda de se ver, gente (ღˇᴗˇ).

E isso é só uma ponta da coisa toda, porque há também toda uma história bem mais profunda por trás, que se entrelaça por um karma, um destino… De erros do passado e de encarnações anteriores, que envolvem até os deuses. E é POR ISSO que eles acabaram viajando juntos.

Então, o que aconteceu no passado deles? Qual é essa tal relação de karma deles? O que os deuses têm a ver com isso? Por que a Deusa Misericordiosa ordenou que os quatro viajassem juntos? O que diabos é Son Goku, e por que ele é tão especial?

Algumas dessas perguntas são respondidas logo na primeira temporada. E tem ainda o arco do Homura, o (atual) Príncipe da Guerra, que começa no episódio 27, e mostra um pouco da encarnação passada deles, além de falar pouco também sobre o Reino (da Hipocrisia) dos Céus. E é claro que eu não vou contar o que rola ^^, nem por que os deuses da guerra são “fantoches assassinos” de um paraíso regido pelas leis budistas cujo princípio é não matar (rs). Fiquem na curiosidade aí e assistam Saiyuki. :v

Uma coisa que eu não ia comentar, mas achei mais justo falar logo, é que levando em consideração que a primeira animação de Saiyuki foi há 18 fucking anos atrás, não é aquela coisa lindona que todo mundo tá acostumado a ver, né… Mas isso vai melhorando consideravelmente com os anos, entre uma animação e outra. Eles também diminuem os CGs meio esquisitos (que juro que quando vi pela primeira vez, 10 anos atrás, achei super normal). Inclusive a cor do cabelo de alguns personagens “muda”, quem era moreno no início virou loiro, quem era ruivo virou moreno… tava todo mundo de cabelo pintado aí HAHAha… ha… ha… Enfim…

O que mais me deixa ansiosa é que como a história ainda não teve uma conclusão, fico na esperança de que algumas coisas que ficaram em aberto na série sejam mencionadas agora, afinal, a sinopse dessa nova temporada dá a entender que vão falar um pouco disso (pelo menos eu espero).

E por último, como sou boazinha, vou organizar aqui as animações que foram feitas até hoje, e eu recomendo que assistam a história principal na ordem de lançamento mesmo (senão vão acabar ficando perdidos):

  • 1999 – Gensou Maden Sayuki (OVA)*;
  • 2000 – Gensou Maden Sayuki (TV – 1ª temporada);
  • 2001 – Gensoumaden Saiyuki: Requiem – Erabarezaru Mono e no Chinkonka (Filme)*;
  • 2002 – Gensoumaden Saiyuki: Kibou no Zaika (OVA)*;
  • 2003 – Saiyuki Reload (TV – 2ª temporada);
  • 2004 – Saiyuki Reload Gunlock (TV – 3ª temporada);
  • 2007 – Saiyuki Reload Burial (OVA);
  • 2011 – Saiyuki Gaiden (OVA);

* Os primeiros OVAs de 1999, o filme de 2001 e os OVAs de 2002 não influenciam em absolutamente nada na história.

E finalmente a nova temporada, Saiyuki Reload Blast, que estreou agora em 2017 (cara… olha o intervalo enorme de tempo que teve entre as últimas animações, inclusive essa nova agora… coisa pra caramba, hein…).

Então bora lá assistir essa bagaça que são mais de 100 episódios pela frente. \o\

  • Tierry Matos

    Então eu tenho que ver essas da lista para poder assistir essa que ta lançando agora?

    • Yuu

      Sim, Tierry. Saiyuki tem uma história contínua e essa nova adaptação, Saiyuki Reload Blast, é a quarta temporada. Então caso assista a partir dela, vai acabar ficando sem entender muita coisa da série.

  • Achei o anime que vai me fazer lembrar de ti HEUAHEAUEHAUEH Bem que o Hellequin falou sobre a maneira que você fala sobre ele. Já me conquistou só pelo nonsense do início do texto. Só que bem, devido a minha falta de computador no momento fica meio complicado começar algo tão longo… Mas um dia, um dia eu me junto a você nessa jornada minha cara

  • MayaraYu

    É uma pena q ñ se encontra mais o Gaiden OVA já q é tão parecido com os episódios atuais. Será q tiraram da net? Q maldade!